sexta-feira, 4 de março de 2011

Ausência II

Goiânia.... de .... de 2011

Oi pai,

antes de tudo, quero pedir sua bênção. Como estão as coisas aí em cima? Pois as coisas aqui em baixo estão feias. Tanta coisa mudou. Eu tive que mudar. Não sou mais aquela menininha que ficava te atentando fazendo cócegas até o senhor ficar nervoso e nem aquela que assistia novela ao seu lado. Eu assistia para lhe fazer companhia sabe, nunca gostei muito. Já faz 1 ano né? Muita coisa aconteceu. Estou tentando cuidar da mamãe sabe, mas parece que eu não consigo. Estou tentando ser forte, mas é difícil pai.

Estou com saudades. Palavra engraçada. Dizemos ela tantas vezes para pessoas que só estão longe, mas só quando perdemos essas pessoas queridas, fisicamente, é que realmente percebemos o valor dessa palavra.

Vou te amar para sempre e nunca te esquecer. "Para sempre" e "nunca", palavras fortes, mas que nesse momento para mim fazem todo o sentido. Tenho tantas dúvidas e medos. O senhor foi embora cedo. Não aprendi a enfrentar esses medos sozinha. Mamãe tenta me ajudar, mas era o senhor que me via realmente.

Errei muito pai. Peço desculpas. Mas o senhor sabe como são os jovens né, " a felicidade está lá fora", mas o senhor me dizia o contrário, " busque a felicidade dentro de você", eu não te dava ouvidos. Agora te entendo perfeitamente. Estou tentando ser forte, eu te prometi que seria. Consigo disfarçar a dor da sua ausência. Não sei o porquê, mas faço isso bem. As pessoas não merecem ver mais sofrimento. O mundo está uma bagunça.

Uma coisa o senhor pode se orgulhar de mim pai, eu ainda sou aquela garota feliz. Sorrio muito. Assim como fazíamos lembra? Eramos os bobos da casa, ríamos de tudo. Pode deixar que agora estou rindo por nós dois. Obrigada por me ensinar isso. Ah, muita gente por aqui que o senhor achava que era de bem, estão se aproveitando da sua ausência. Adquiriram poder, e agora estão mostrando quem realmente são. Eu não queria que o senhor descobrisse isso, mas é o que está acontecendo.

Eu só queria que o senhor soubesse o que se passa por aqui. Espero que receba essa carta.
Continuarei nesse mundo louco, enquanto o senhor se livrou dele.
Com amor, de sua filha
Ana

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. "Consigo disfarçar a dor da sua ausência. Não sei o porquê, mas faço isso bem. As pessoas não merecem ver mais sofrimento. O mundo está uma bagunça".

    Exponha sempre a dua dor.E que seja de forma escancarada,escandalosa...para ser ouvida,sentida.Isso ajuda a entender essa dor dilacerante de uma ausência tão...tão...tão...
    Isso vc faz bem.Como?Através das suas palavras,belas palavras,sinceras palavras.Palavras usadas para dirimir a dor que deveras sente.E eu, fico aqui,embriagada de emoção por ver-te crescendo, tornando-te uma mulher em constante busca pela tão aclamada e almejada FELICIDADE,para o que, aliás,acredito que todos tenhamos vindo para esse plano.Entenda que estarei sempre contigo,mesmo que distante,te apoiando,encorajando e emprestando o ombro para abraços e desabafos.Te Amo,minha eterna criança.
    P.S.:Fique um pouco com Lupcínio Rodrigues,qdo escreveu FELICIDADE:
    "Felicidade foi-se embora
    e a SAUDADE no meu peito "inda" mora,e é por isso que eu gosto,
    Lá de fora porque sei que falsidade,
    Não vigora.
    A minha casa fica lá de trás do mundo
    Onde vou em um segundo
    qdo começo a cantar
    O pensamento até parece uma coisa à toa
    mas, como é que a gente voa,
    qudo começa a pensar"

    ResponderExcluir
  3. ninguém sabe o quanto algumas pessoas significam em nossas vidas. nem nós mesmos, às vezes. então os perdemos, e sabemos.
    você disfarça bem, amiga, pode apostar.

    ResponderExcluir